"Gosto de dizer. Direi melhor: gosto de palavrar. As palavras são para mim corpos tocáveis, sereias visíveis, sensualidades incorporadas." (Bernardo Soares)
publicado por Departamento de Língua Portuguesa | Quinta-feira, 20 Fevereiro , 2014, 19:10

A visita ao Teatro da Vilarinha, que decorreu em janeiro, proporcionou-nos um momento de aprendizagem aliado a várias atividades lúdicas. No desenrolar da visita fomos descobrindo diversos locais que, para uma boa apresentação teatral, exigem a máxima atenção e colaboração de todos os intervenientes envolvidos na peça. Confirmámos, ainda, que a realização de um bom espetáculo não depende apenas de um bom elenco, mas também de equipamentos e bons técnicos. Pessoalmente, retive a frase “Um ator que não se vê é um ator que não se ouve”, que considero muito interessante.

Duarte Duque, 7.º A

 

 

Esta visita foi muito interessante, pois foi uma maneira de conhecermos o que acontece por trás do palco. Pudemos verificar que existe muito trabalho sem ser o dos atores, nomeadamente a criação de cenários, de figurinos, entre outros. Os lugares que mais gostamos de visitar foram a teia e o atelier dos figurinos, por serem sítios onde acontece a “magia do espetáculo”. Esta visita motivou-nos para o estudo do texto dramático.

 

Bruno Silva, Constança, Francisca, Gonçalo, Leonor, Rodrigo Sousa, 7.º C

  

 

Esta visita foi deveras interessante, porque aprendemos coisas novas e ficámos com uma perspetiva diferente de como o teatro é feito. A companhia Pé de Vento mostrou-nos os seus ateliers e os bastidores e ficámos boquiabertos com a versatilidade dos seus elementos. A partir de agora, veremos o teatro com outros olhos.

 

Allana, Beatriz, Diogo, Filipa, Rita, Vasco, 7.º B

 

 

A visita foi bastante enriquecedora para aumentarmos o nosso conhecimento sobre o teatro. Estamos gratos por termos tido acesso a espaços tão privilegiados dentro de um teatro. Também ficámos a conhecer uma pouco mais da história da casa: o Teatro da Vilarinha. Apreciámos imenso esta visista.

 

Afonso, António, Bruno Almeida, Carolina Bernardes, Carolina Melo, João, José, Mafalda, Mariana Carvalho, 7.º C

 

 

No Teatro da Vilarinha visitámos diversos espaços, entre os quais os bastidores, a cabine técnica, o palco e a teia, que consideramos o local mais interessante. Também gostamos de conhecer e de poder conversar com alguns dos atores e técnicos que trabalham arduamente para que cada peça de teatro corra bem.

 

Carolina, Francisco Ferreira, Júlio, Manuel, Marta, Matilde Vieira, 7.º B

 

Esta visita foi bastante instrutiva, já que eu não tinha a menor ideia de que o teatro necessitasse de tantos funcionários para poder funcionar como deve ser. Também achei impressionante as tarefas que cada um tem que fazer para a preparação de um espetáculo.

José Pedro Dias, 7.º A

 

Nós adoramos a ida ao teatro, porque nunca tínhamos entrado nos bastidores. Foi como conhecer o esqueleto num corpo humano. Atraiu-nos o lado desconhecido, principalmente a teia, os camarins e o atelier onde se desenham e confecionam as roupas. Desde pequenos que tínhamos o sonho de “espreitar” o que havia por trás da cortina que tapava o palco. Concretizámos esse sonho e sentimo-nos mais cultos, por isso esta visita foi interessante e apelativa. Ficámos também a perceber como é difícil e exaustivo preparar uma peça de teatro.

 

Catarina Marques, Francisco Cruz, Mariana Pinto, Rita, Teresa, Tiago, 7.º C

 

Gostámos muito da ida ao teatro, pois foi uma experiência interessante. Visitámos locais que não imaginávamos que existissem e o que mais nos agradou foi o atelier onde se fazem os figurinos, que são espetaculares e originais. Aprendemos que o teatro não se resume ao que se passa no palco: há muito trabalho de equipa por trás.

 

Catarina Carvalho, Catarina Vieira, Francisco Durão, Maria, Sofia, 7.º B

 

Considerámos esta visita muito interessante e enriquecedora, pois descobrimos que há muito mais para além do que os espectadores veem. A parte preferida foi subir à teia pela escada em caracol e visitar a cabine técnica, onde vimos a mesa do técnico e pudemos saber como funcionam as luzes e o som. Se tivéssemos oportunidade, repetiríamos esta visita.

Benedita, Francisco Otal, Guilherme, Inês, João, Teresa, 7.º B

 

Gostámos muito desta ida ao teatro, porque pudemos ver aquilo que habitualmente não vemos, como os bastidores, os camarins e a teia, que foi o local de que gostamos mais. Trata-se do espaço por cima do palco, onde são pendurados os holofotes e os projetores que são escondidos pelas bambolinas. Achámos a visita muito interessante e ajudou a melhorar os nossos conhecimentos.

Luísa Fernandes, Rafaela, 7.º A

 

A visita de estudo foi interessante, divertida e educativa, numa única palavra: espantosa! Deu-nos uma perspetiva totalmente diferente de como funciona um teatro. Os monitores conseguiram, de uma forma simpática e lúdica, ensinar-nos coisas que não sabíamos para organizar uma representação teatral.

 

Catarina Saraiva, Francisco Marques, Francisco Matos, Eva, Leonardo, Miguel, Rodrigo Ferreira, 7.º C

 

 

Quando chegámos ao teatro, logo à entrada vimos um lindíssimo e muito expressivo boneco, que era a mascote da companhia: o Ventolão. Depois visitámos vários locais do teatro da Vilarinha e um dos que considerámos mais importante foi a oficina, pois é lá que se projetam e constroem os cenários e os adereços, para que uma história se torne quase real.

Catarina Santos, Matilde Ferreira, Nuno, Rodrigo, Tiago, 7.º B

 

Fotos de Maria Coelho, 7.º A

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Blogue do Departamento de Língua Portuguesa do Colégio de Nossa Senhora do Rosário
Pesquisa Literária

Conto Colégio

Textos de Alunos

pesquisar neste blogue